Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2010

"Fiz um filho, escrevi um livro e já plantei uma cannabis"

Há uns anos, plantei uma cannabis linda, fruto de umas sementes muito manhosas. Há dois anos e quase meio nasceu o meu puto e descobri o amor. Há pouco mais de 2 meses foi publicada uma pequena obra de autor, patrocinada pela empresa e, lá está, a tomar em consideração o que realiza um homem, cumpri a minha missão na terra.

"Agora, se não se importam, vou ser um Na'vi de Pandora!"
AVATAR: Qualquer filme repleto de efeitos especiais será sempre um verdadeiro "ranho na parede" comparado com este - não há qualquer hipótese! Recomendo vivamente! Uau, uau mesmo!!!
O minha breve passagem pelo estudo jazzístico e respectiva reprodução horripilante enquanto executante levou-me a admirar ainda mais alguns músicos de relevo: dos fundadores do Bebop, Charlie Parker e Dizzy Gillespie, registo que iria incutir-se no espírito Kerouacquiano, à loucura ternurenta de Thelionous Monk ou mesmo à supersónica coordenação motora de Art Blakey, todos eles me despertaram o swing. Apesar de ser apenas um espectador e conhecedor leigo desta vertente, sempre tive a lucidez de saber apreciar os músicos contemporâneos mais próximos da mainstream. E assim não tenho qualquer receio ou dúvida em afirmar:

"Uma coisa são os "Bublés" e as "Kralls" que, admitamos, são relativamente interessantes, mas depois há isto. Música feita por um 'puto' todo ele a transpirar bom gosto e imprevisibilidade"

AQUI Playing Jeff Buckley AQUI Playing Rihanna AQUI Playing Radiohead

Zbbbb...

Já alguém ouviu falar no FC Bunyodkor do Uzbequistão? Ao que parece, joga lá o Rivaldo e o clube é treinado pelo Scolari. Convenhamos que só esta informação é estonteante, mas surge agora a possibilidade do Nuno Gomes ir dar uns toques para aquele gramado – eh lá, pareço o Rui Santos! Sinceramente, não sei o que seria melhor para ele: voltar para a Esménia ou Isvéldia ou Invénia ou Elovérdia ou, então, rumar ao Uzbequistão – único país no mundo que consegue juntar duas consoantes de impossível conjugação, o “z” e o “b”. Esperem lá… e se a ex do Nuno Gomes também conseguisse o mesmo feito; do género: Ezbénia ou Ezbéldia ou Ezbevérdia? Seria como juntar a um monte de ervilhas um resplendoroso ovo escalfado!