Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro, 2009

Cop Land

Ê e mê (Euchrid de Cave não diria melhor) amigo R., partilhando o último cigarro do maço comprado a meias na véspera, fomos surpreendidos na rua, sob o já tardio crepúsculo vespertino, por dois senhores. Chegaram a toda a velocidade num Fiesta a cair de podre, bateram as portas do mesmo e um deles interrogou forte e feio: “MEUS SENHORES, têm alguma coisa que os comprometa?” Pensei que não teria que responder àqueles cabrões, mas atendendo ao tamanho dos mesmos, lá disse “Não!”. Mostraram os crachás da bófia para ficarmos mais tranquilos, só que aquilo mais parecia PVC de 3mm. Pediram para esvaziar os bolsos; então tirei 30 cêntimos do bolso direito e o meu iPod do esquerdo. Pensei: estou fodido! Vou ser assaltado por dois mânfios armados em cagões. Construí de seguida, no meu imaginário florido por white widows, situações más, mas bem melhores do que aquela que estava a vivenciar. A saber (adoro esta expressão, assim como o quiçá ou o inclusive), ser sodomizado por um pónei shetland o…

Discussão Matrimonial

- Sabes quanto é o peso do quilo do salmão? - O quê? - O peso do quilo do salmão? Quanto é? - Não te estou a perceber! - Porra, estou a fazer-te uma pergunta fácil: qual é o peso do quilo do salmão? - O peso do quilo do salmão? - Sim, o peso do quilo do salmão? - Já viste o que estás a dizer? - Foda-se, é complicado? - O peso do quilo do salmão ou o preço do quilo do salmão? - Ah, merda, ok, ok...

"O peso do quilo do salmão" dava um óptimo título para um romance de Verão de um socialite português


Dirty Post

Não é que, depois de lhe passar 10 euros para a mão, o meu querido H. desatou a correu atrás da carrinha da Family Frost como 'o' amanhã fosse ditado pela fatalidade de um armagedão ou pela vinda do planeta Hercólubus e da consequente descoberta dos reptilóides (!?) - ao que tudo indica, bem mais manhosos do que os greys intergalácticos! Pelo menos, e após me ter gasto a guita toda que, numa análise agravada, não era minha, mas sim o troco do almoço da minha mui querida madeirense T., conseguimos perceber que as caixinhas dos mini-gelados têm o mesmo sabor que as dos Magnum: a cartão! Ah, pois é, isto faz-me lembrar um momento indelével da 7 Arte:

Being as this is a .44 Magnum, the most powerful handgun in the world, and would blow your head clean off, you've got to ask yourself one question: Do I feel lucky? Do ya, punk?

Um velório e um hambúrguer

Longe de casa e a caminho de um velório, num registo de viandante soturno, entro num espaço comercial e decido experimentar um novo pronto-a-comer gourmet de hambúrgueres. Ok, são mais de 200 gramas de carne e ainda um ovo frito a cavalgá-lo freneticamente ao som de um pesado e moroso Bolero de calorias. É claro que após o repasto me senti mal, mas enquanto o comi, senti uma alegria própria de uma criança que encontra um parque infantil no meio do nada. E não me deixei intimidar pelos remorços. Bastou-me mirar as criaturas passantes que, à procura da linha - reparem só na ironia da coisa -, entravam hirtas e confiantes na Casa das Sopas (é assim, não é?). O problema de engordarem até explodirem num regozijo de prazer à moda de La Grande Bouffe não me incomoda. Incomoda-me, sim (!), desconhecerem o simples facto daquelas sopas terem mais farinha do que um camião cisterna pode albergar. Ao menos, e a minha presença estava lá para o comprovar, há ainda indivíduos que comem com a consciên…
O renascer da ALIENAÇÃO ZORZIANA
AQUI

Com que então já me queriam enterrar? Não sei o quê do CDS e beijinhos da avó? Sois deliciosamente miseráveis...
A minha mui estimada Alienação Zorziana já não faz mais sentido, mas o meu muito obrigado pela companhia nestes últimos 4 anos e meio de vida

Frontera e Casillero Del Diablo

Levou-me algum tempo a digerir a vinda desta senhora para o panorama musical. Demasiado protegida pelos críticos musicais, nunca lhe dei muita atenção nem crédito em mais de 8 anos de carreira - só a sugerida comparação à mãe das novas songwriters, Tori Amos, irritou-me! Uma coisa é vinho Frontera - muito bom! - e outra é El Casillero Del Diablo - excelente! Todavia, e só agora, após me terem oferecido o sexto e último álbum da cantautora, "Far", apercebi-me, finalmente, da relíquia que me trouxeram da deliciosa e parisiense Colette. Este tema não é o melhor do álbum, mas talvez o 4º ou 5º: já por aqui dá para antever o quão boa é esta rodela gostosa desta forçada nova-iorquina, nascida e criada até aos 9 anos em Moscovo: Regina Spektor.

AQUI A REGINA

Convém comparar a Regina Spektor à Tori Amos para se topar a imbecilidade dos críticos musicais! As duas têm tanto a ver como eu gostar de ovos escalfados com ervilhas!

AQUI A TORI

Trash post

Sinto-me como um jogador de futebol em final de carreira. Lesões e algumas bem graves. Já não entro em carrinho nem cabeceio para golo. Passei de box-to-box para trinco estático. E se entro em campo é para vender as camisolas que ainda restam com o meu nome. Ah, esperem só um pouco que tenho dar aqui uns autógrafos aos putos…: “Eh, que tal ninos guapos, vindes mirar mi juego mas luego, pá? Vienham torcier por nosotros, di acordio?”