Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2005

NUNCA MAIS VOTAREI!

Por mais que nos agarremos à História, às paisagens, às pessoas, à generosidade de abraçar diferentes culturas, dia após dia, o nosso país é uma extraordinária anedota! É patético o ministro da Admnistração Interna tentar desculpar-se dos incêndios, atribuindo a culpa à falta de preparação dos bombeiros. É patético o senhor Sócrates ter prometido tanta coisa e ter-se tornado no que se vê! Acho sinceramente o seguinte:

NÃO SERIA A DEMOCRACIA MAIS MUSCULADA, SE OS POLÍTICOS FOSSEM RESPONSABILIZADOS SEM APELO NEM AGRAVO SEMPRE QUE NÃO CUMPRISSEM UM OBJECTIVO OU MENTISSEM AO POVO?!

ENQUANTO ISTO NÃO ACONTECER - e, seguramente, nunca acontecerá! - NÃO MAIS VOTAREI! NEM ME VOU DAR AO TRABALHO DE DESENHAR OBSCENIDADES NO BOLETIM DE VOTO!

Senhores políticos: PUTA QUE VOS PARIU A TODOS!!!

O meu frigorífico é um deserto

Por favor, queria só um Magnum Branco ou então um chocolote...

Olharei o tecto

Sente como os ossos te apertam. Como essa armação te fere intraderme. Sente agora a dor: vem de todo o lado! Olha as horas. Caminharás agora rumo ao colchão. Antes, relaxarás. Com o fumo, com o álcool, com olhar fixo no tecto. Um piso acima, onde se encontram as arrecadações, o vizinho mais novo fornicará, longe dos olhos dos pais, a jovem adolescente sardenta. Haverá sussurros e gemidos. Os que vierem, porém estarei distraído com o olhar fixo no tecto. A inventar capacidades de transparecer paredes. A lembrar-me do passado…

Diario de Noticias

"SIM, O ZORZE É O MEU FILHO ILEGÍTIMO"

Projecto de vida: Plantar uma árvore, escrever um livro, ter um filho?

O MESMO TEXTO EM CHAMUSSAS, o blog de parceria do qual Zorze, orgulhosamente, faz parte

Frase batida esta, não? Será que não posso trocar este rol de exigências por outro? Simplesmente, abraçar diferentes capítulos de vida igualmente enriquecedores para o meu espírito?

Como ainda não consegui cortar nenhuma destas metas (árvore, livro, filho) uso estas três variantes preciosas que ditaram o meu crescimento enquanto homem:

Apontarem-nos uma arma, cair de um primeiro andar, ser violentamente agredido por um epilético!

Que tal? Querem melhor projecto de vida do que este?

Tem cuidado, Zorze!

"Zorze, venho comunicar-te a minha tristeza ao perceber que ainda escreves textos tão pouco católicos. Continuas a insultar os leitores do teu blog, como a minha rica menina Bambi, e a promover o clima de desconfiança entre os teus irmãos. Espero que, doravante, te portes melhor! Se continuares assim, vou ter que te denunciar ao SIS. E tu não queres isso, pois não?"

Deixe-me responder-lhe, Miguel Esteves Cardoso

"A Xenofobia não tem nada a ver connosco!

“Portugal está a tornar-se europeu. Em vez de se tornar europeu pelo lado bom e difícil – cuidando dos doentes, dos velhos e dos estudantes – está a tornar-se europeu da maneira mais estúpida e mais fácil. Está a ficar snob e xenófobo, como o Reino Unido, a França e a Itália.

Julga-se ao mesmo nível. Julga-se o máximo. Julga-se na moda. Esquece que nos países europeus são as classes mais baixas e ignorantes que são xenófobas. (...)

(...) Hoje, pela maneira como tratamos os brasileiros, estamos um mete-nojo e uns pirosos.(...) Nos últimos anos tenho assistido a expressões inimagináveis de racismo, xenofobia e mediocridade. Num país onde as “bifas”eram um mito, os maiores engatatões do bairro têm a lata de dizer que elas têm todas sida.(...) Um português rir da crise económica brasileira tem cá uma graça! (...)

Enquanto o poeta, cantando, espalhava o verbo por toda a parte, os portugueses proporcionaram quecas à escala internacional. (...) Para…

O estranho mundo de Joao Pedro Pais

Acende um cigarro
Olha para mim
Sentada a meu lado
Toca-me assim
Envergonhado estou-me a sentir
Posso estar farto
Mas fico por aqui
Há quem queria
Pôr-me em cima de um altar
Há quem diga
Que sou a sorte e o azar

Ando louco, tão louco, louco por ti
Fico louco, tão louco, fora de mim

Não são raros os casos
Em que eu não tenha de me cruzar
Selamos segredos
Por vezes dão que falar
Bebe-se um copo
Um convite para jantar
Salta-me à vista esse teu rebelde olhar

Ando louco, tão louco, louco por ti
Fico louco, tão louco, fora de mim
Sorriso nos lábios
Tenta-me seduzir
Fico nervoso
Daqui quero sair

Ando louco, tão louco, louco por ti
Fico louco, tão louco, fora de mim

El Mariachi Diaz

*Depois da humilhação pública a FORMICIDAE, eis que Zorze opta por um elogio público*

Ao meu amigo El Mariachi Diaz:

Talvez seja a sua excepcional capacidade de memorização e a constante necessidade de exercitar os neurónios que o levam a ler, ouvir e a falar o dobro daquele que, com ele, partilha o vinho tinto de boa casta. No rol de teses que carrega debaixo da língua, e não valerá de muito (nesta prosa, note-se!) reservar espaço aos judeus ou aos EUA, resume-se a ideia da desconfiança – puro “orwellismo”. Diaz vive para partilhar conhecimento, embora todos lhe caiam em cima, acusando-o de ser pseudo-intelectual. No fundo, alimenta o desejo de todos ganharem consciência de que nada é tão linear como parece. Sem nunca entrar na onda do esoterismo, penso que o Diaz é bem mais lúcido do que as gargalhadas e o escárnio que as suas teses provocam. Não queiras abraçar o Mundo, meu caro amigo. Continua a indicar generosamente o caminho – embora vendado também tu o estejas - e não tentes carr…

A Alienacao recebeu um MAIL - Peço a Vossa Atençao

ZorZito,

Quis colocar este post no teu blog, mas não pode devido aos mecanismos instaurados. De qualquer forma, e porque acho que os amigos têm de ser sinceros aqui vai... Depois, não volto a falar do assunto.

"Meu caro amigo, perdoa-me estar a tomar a iniciativa afoita de comentar um assunto sobre o qual não possuo o vosso conhecimento e sapiência, mas parece-me que Torquemada, Salazar e Pinochet se sentiriam em casa ao visitar este blog, onde se coloca em prática a velha censura, mas com meios que escapavam a estes três tristes velhadas. De facto, é benemérita a tentativa de criar um mundo cor-de-rosa, limpo de porcaria (seja lá isso o que for), gerando-se uma espécie de grupo de auto-ajuda ou relações narcisísticas que alimentam o ego e nos protegem das ameaças do mundo exterior. Infelizmente, e sabendo que isso significa ser condenada a ser banida, considero que a blogsfera é um espaço verdadeiramente livre (o último reduto, talvez, de uma liberdade que nos é alienada quotidia…

Alienacao Zorziana muda de feitio!

1.
Acusam-me de falta de poder de encaixe. Todavia, e durante seis meses, não apaguei comentários e permiti todo o género de ofensas ao Zorze. No entanto, e pela pouca experiência que tenho enquanto blogger, a minha intenção foi criar laços com outros internautas. Conheci o Paulo (ex-pátria), a Pipocas (pacote de pipocas), o Tripeiro de Amesterdão (tripeiro de amesterdão), o Xostrinha (mercado das balelas), o Zez (manual sobre vivência), o El Mariachi (el mariachi), monsieur ezot (talho do ezot), a Maria Guilherme (doravante borboleta), o 44cm (anomalia na rede), o juanito (sossego da mamã), o Formicidae (formiga no carreiro) e Pedro (inevitável insatisfação) - entre outros, é claro!

2.
Peço desculpa à Freaky, à Sardanisca e a tantos outros bons bloggers não registados que proporcionaram momentos hilariantes na caixa de comentários. Só acho é que todos nós devemos criar a nossa "casa".

2,5
Quando bombardeiam a nossa "casa", também o inimigo deve ter uma. É uma questão d…

Tribos

Tribos e mais tribos, manias e mais manias. Sexo e a Cidade despejado para fora da pequena tela. Há que ler, ler, comer páginas e ler incessantemente. Há que mostrar saber. Enche-se o peito, perde-se a audição. Tribos? Muitas! Mas a pior delas é a Tribo-Pseudo-Luso-Nova-Iorquina. Conheço-a de perto e evito-a. Ela retira qualquer romantismo ao saudosismo; ela envenena pelas costas; ela ridiculariza-se; ela fala em registo emproado; ela, afinal, é senhora da razão e olha com desdém. Manias tribais? Só para quem não ama de verdade o amigo e não deseja abraçar o Mundo num movimento sôfrego!