Avançar para o conteúdo principal

Eu não sei mais do que um miúdo de dez anos...



... contudo, sei o fumo de tudo o que pode provir de uma mortalha, como se fecha uma mão cheia de concertos especiais ou se olha os cenários dos actores da vida em grande tela. Sei o quão generosos são os songwriters quando nos torcem o coração como um pano de cozinha enxaguado, a magnitude de gerar uma vida e como continuar a amar em abundância sem troca de galhardetes na grama seca. Quanto à raiz quadrada de quatro será dois? Acho que sim, mas não tenho a certeza...

Comentários

  1. é é, que eu perguntei aqui ao sô engenheiro...

    ResponderEliminar
  2. tas a ficar um songwriter!
    Só falta a melodia e o assobio!

    =)

    ResponderEliminar
  3. estou como a lia... pois que é 2! não queremos q subsistas com dúvidas...

    ResponderEliminar
  4. lindo, zorze!! (atenção à vírgula!!)
    adorei especialmente a parte do pano enxaguado...
    já as contas, passo!!
    quanto à grama seca, é bom que não seja transgénica, mas de cultura biológica, para melhores alucinações...

    ResponderEliminar
  5. Corrigido, meu prezado capitão!!!

    ResponderEliminar
  6. Caro Zorze, há já um bom tempo que ando meio arredado da blogosfera, mas hoje retornei aqui e foi um gosto. Bela prosa!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Nada como a experiência de vida...
    Pena é q isso signifique ficar mais velho...

    ResponderEliminar
  8. Tás assim tão vazio? É que pela foto e pelo texto ainda não encontraste qq coisa... que se calhar andas à procura... Já sei era a caneta que mais gostavas...

    ResponderEliminar
  9. vim entregar um mapa mundo e umas maquinas de calcular para os meninos... pq nota-se bem q esta escola tem imensas carencias...

    ResponderEliminar
  10. ...
    e eu vim deixar uma bomba com controlo remoto que, logo hoje, estou longe...

    abraço, grande doido!!

    ResponderEliminar
  11. Pois deixa-me dizer-te que cada um sabe o que sabe é mesmo assim...
    Sei que adorei o que escreveste e das coisas que tu sabes apenas sei o que pode provir de uma mortalha e sei amar e amo em abundância...
    hei-de saber outras coisas que tu não sabes e ainda bem que assim é, porque outra coisa que sei é que todos os dias me deslumbro com o facto de todos os seres serem diferentes.

    Espero que os miúdos de 10 anos saibam o que souberem não se deixem ficar todos iguais e saibam ter a coragem de ser diferentes...
    se lhes apetecer...claro!

    Isabel

    ResponderEliminar
  12. E eu sei que os programas da tv andam de mal a pior.

    ResponderEliminar
  13. Isabel: Belo comentário - muito porreiro, mesmo *** bjs

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Die Liebesbriefe einer portugiesischen Nonne

Gosto mesmo deste registo de mamas!

Tinha, talvez, cinco anos quando vi a Ana Zanatti e as suas amigas freiras em cenas lesbianas e, naturalmente, vem daí o despertar precoce da minha libido.

Só consegui a capa do filme em Inglês. Sorry...

Rapsódia contemporal-conceptual - OU - Ya, Zé

Onde é que se liga aqui este megafone?... Ouçam: artigos pequenos e outros um pouco maiores com mais de 80% de mínima importância. O tapete, o cristal, os dourados. Ai, como são lindos os dourados! Os saldos! Ui, dEUS meu, já começaram? Pretexto. Vamos já, vamos já! Quero ver essa selectividade minimalista dos espaços decorados sem nada. Os dias da reinvenção. Presunção. Sei mais do que tu! Eu sim, sou especial. Antena e o tempo. Vem de onde? Massamá! E o que nos traz hoje? Venho cantar Celine Dion em português. Escolha ousada. E porquê a Celine? Ai, é simplesmente linda: sempre foi! Dias de festejo. Kizombada depois da lambada lambuzada ao seu tempo. 2 tempos. 4 tempos. Motores potentes. A tecnologia gritante. Si, cariñoooooo! Iphones, S8's, S9's, 5 Mini S´s. Fodeu! É assim que se diz? Depende do que queres dizer!? Quem? A mulher, o patrão, o empregado, a amante turbinada, o senhor do banco? Tenho certezas, tenho opiniões. Como diziam os outros, já sei namorar e beijar de bo…

Como pode um homem sem escrúpulos fornicar a sua amiga lésbica?

Embriagados e fumados, dois amigos estendidos no chão da cozinha. . .

Amiga: Qual é o meu problema em gostar de gajas?
Amigo: O problema é que se não fosses lésbica já teríamos um programa melhor do que ficarmos a arrefecer no chão.
Amiga: Não te preocupes. Posso sempre dar-te um xi-coração.
Amigo: Olha, já cheiraste este lenço?
Amiga: O que tem?
Amigo: Cheira!
Amiga: Está bem. Humm… bah, cheira a… a… a… hospital…
Amigo: Diz antes a sonorífero!