segunda-feira

(Não me apetece dar um título a esta merda)

O meu avô materno, criatura mui respeitada na família e na terra pequena, era pessoa de se fiar. Julgo nunca ter mentido, mesmo quando nos contou a noite em que viu uma mulher-espírito à sua frente. Lembrei-me dele esta manhã, quando tudo me pareceu diferente a caminho do trabalho. Estranho, tudo muito estranho: a lua fugidia, menos movimento, menos viaturas, menos luz, menos pessoas e, afinal de contas, menos uma hora.

* Sim, acertei mal as horas do telemóvel ontem à noite e lembrei-me, pertinentemente, deste meu desaire temporal entre o trago do café da esquina e a página 8 do jornal diário.

9 comentários:

  1. este teu desaire temporal faz-me lembrar um filme do amenábar chamado "abre los ojos"!!
    (foste gamado???)

    ResponderEliminar
  2. ... bolas...
    be ready, este dia vai ser longoooooooo!!!

    ResponderEliminar
  3. Yep! Fui gamado; levaram-me tudo: tive só um prejuizo de mais de 500 euros. Ao menos ainda tive uns trocos para comer uma sandes de panado e uma água fresca!

    ResponderEliminar
  4. Vê as coisas pelo lado positivo...
    Não apanhaste transito...eheh!!!

    ResponderEliminar
  5. o problema é só perceber quando já é tarde demais...

    ResponderEliminar
  6. ahahahahahahahahahah! não consigo para de rir!

    ResponderEliminar
  7. Sandes de panado e UMA ÁGUA??? Menino!

    ResponderEliminar
  8. Foi só para ficar bem na fotografia...

    ResponderEliminar