Avançar para o conteúdo principal

O meu cão fala inglês - OU - O maravilhoso mundo dos cães ou nem por isso...

Ao invés de "Vamos à rua?", prefiro um "Let's go for a walk?". Curiosamente, ela abana a cauda naquela habitual demência canina de ansiedade como, de facto, percebesse inglês. Depois, nada de a tranquilizar com um “Tem calma”. Uso, sim (!), um “Relax babe, take it easy”. Ela continua a abanar-se e não perde a pica até chegar à rua. Aliás, aumenta-a quando vê o labrador ou o grandanois lá do bairro, os amigos das lambidelas na xoxota. Parece que a ouço dizer “Oh yes, you animals. I love this doggy style conversation”

Comentários

  1. Há que tratar bem os nossos animais, e o teu método é exemplar e pelo menos a tua canina, n te dá o desgosto que o meu canino me deu.

    Passa no meu blog e vê.

    Vou tentar o inglês, pode ser q ele se sinta insultado e perceba q está a ser "sudomizado à bruta" pelos restantes amiguinhos!!! LOL

    Beijokas

    ResponderEliminar
  2. Porra até já os cães tm de saber mais de um lingua como isto vai????

    ResponderEliminar
  3. tu questionas a tua cadela se quer ir à rua?1?!?!? Ora aí está um dono disciplinado... tenho ideia que os pobres animais têm quase que trepar pelas paredes para que os donos se dignem a encaminha-los nos seus passeios basicamente fisiológicos...

    ResponderEliminar
  4. Tás a ver, jagunço? Isto sim, é um post! Nada denunciador de uma certa demência que afasta de ti todo o mulherio com todos os dentes e sem cáries, é denunciador de um humor inteligente, assaz Pythoniano ou The Firmiano, talvez até The Family Guyiano. Assim, um gajo acaba por pensar que tu és bem disposto e não andas a querer degolar meia estação de metro, ainda que, entre nós, saibamos que sim!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Die Liebesbriefe einer portugiesischen Nonne

Gosto mesmo deste registo de mamas!

Tinha, talvez, cinco anos quando vi a Ana Zanatti e as suas amigas freiras em cenas lesbianas e, naturalmente, vem daí o despertar precoce da minha libido.

Só consegui a capa do filme em Inglês. Sorry...

Rapsódia contemporal-conceptual - OU - Ya, Zé

Onde é que se liga aqui este megafone?... Ouçam: artigos pequenos e outros um pouco maiores com mais de 80% de mínima importância. O tapete, o cristal, os dourados. Ai, como são lindos os dourados! Os saldos! Ui, dEUS meu, já começaram? Pretexto. Vamos já, vamos já! Quero ver essa selectividade minimalista dos espaços decorados sem nada. Os dias da reinvenção. Presunção. Sei mais do que tu! Eu sim, sou especial. Antena e o tempo. Vem de onde? Massamá! E o que nos traz hoje? Venho cantar Celine Dion em português. Escolha ousada. E porquê a Celine? Ai, é simplesmente linda: sempre foi! Dias de festejo. Kizombada depois da lambada lambuzada ao seu tempo. 2 tempos. 4 tempos. Motores potentes. A tecnologia gritante. Si, cariñoooooo! Iphones, S8's, S9's, 5 Mini S´s. Fodeu! É assim que se diz? Depende do que queres dizer!? Quem? A mulher, o patrão, o empregado, a amante turbinada, o senhor do banco? Tenho certezas, tenho opiniões. Como diziam os outros, já sei namorar e beijar de bo…

Como pode um homem sem escrúpulos fornicar a sua amiga lésbica?

Embriagados e fumados, dois amigos estendidos no chão da cozinha. . .

Amiga: Qual é o meu problema em gostar de gajas?
Amigo: O problema é que se não fosses lésbica já teríamos um programa melhor do que ficarmos a arrefecer no chão.
Amiga: Não te preocupes. Posso sempre dar-te um xi-coração.
Amigo: Olha, já cheiraste este lenço?
Amiga: O que tem?
Amigo: Cheira!
Amiga: Está bem. Humm… bah, cheira a… a… a… hospital…
Amigo: Diz antes a sonorífero!