terça-feira

Prosa de amor ao meu filho.

Quando o despertador desperta, desperta para o despertar embrionário de vontade. "Foda-se, caralho, mais o caralho que ma foda, ó caralho". Quanto a buzina apita, apita para o apitar do stress matinal. "Caralho, sai da frente, filho de uma granda puta, ó caralho". Quanto o laboral labora, "laboramos" para um laboral desnecessário: é o patrão que vai para as Caraíbas, não tu! "Anda um gajo a esforçar-se para ser papado, ó caralho!" Mas quando chego a casa e te vejo ainda sem palavras decoradas a berrar por mim com um sorriso, acredita, filho, que me dás mais um pouco de oxigénio. "Obrigado Xano, por este nosso amor que me distancia da merda dos dias".

7 comentários:

  1. Invejo-te...

    Não pela merda dos dias que por aqui são idênticos - talvez diferentes na cor e no cheiro, mas merda na mesma...

    Invejo-te pelos berros sem palavras decoradas que correm para ti ao final do dia.

    ;-)

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, amigo Tripeiro. Forte abraço para ti e muita força!!!

    ResponderEliminar
  3. Eh lá! Agora é a altura em que as miudas caem todas por ti, não?

    É impossivel resistir a um homem que, mais que tudo, expressa o amor pelo seu filho.

    digo eu...

    [claro que eu resisto! só quando isto acontecer ao Meu Homem eu vou cair pro lado.]

    ResponderEliminar
  4. lolada, Guevara, com o devido respeito pelo Ivan, és uma fixe, pá!!!

    ResponderEliminar
  5. Quem resiste... Vai mas é para o ginásio...

    ResponderEliminar
  6. És um fôfo, fôfo...

    Did I mencioned that I'm on vacation with my own little one? Alone, by ourselves and no mommy telling us "do this and do that and don't do this and don't do that"?

    Paradise!

    ResponderEliminar