Avançar para o conteúdo principal

Prosa de amor ao meu filho.

Quando o despertador desperta, desperta para o despertar embrionário de vontade. "Foda-se, caralho, mais o caralho que ma foda, ó caralho". Quanto a buzina apita, apita para o apitar do stress matinal. "Caralho, sai da frente, filho de uma granda puta, ó caralho". Quanto o laboral labora, "laboramos" para um laboral desnecessário: é o patrão que vai para as Caraíbas, não tu! "Anda um gajo a esforçar-se para ser papado, ó caralho!" Mas quando chego a casa e te vejo ainda sem palavras decoradas a berrar por mim com um sorriso, acredita, filho, que me dás mais um pouco de oxigénio. "Obrigado Xano, por este nosso amor que me distancia da merda dos dias".

Comentários

  1. Invejo-te...

    Não pela merda dos dias que por aqui são idênticos - talvez diferentes na cor e no cheiro, mas merda na mesma...

    Invejo-te pelos berros sem palavras decoradas que correm para ti ao final do dia.

    ;-)

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, amigo Tripeiro. Forte abraço para ti e muita força!!!

    ResponderEliminar
  3. Eh lá! Agora é a altura em que as miudas caem todas por ti, não?

    É impossivel resistir a um homem que, mais que tudo, expressa o amor pelo seu filho.

    digo eu...

    [claro que eu resisto! só quando isto acontecer ao Meu Homem eu vou cair pro lado.]

    ResponderEliminar
  4. lolada, Guevara, com o devido respeito pelo Ivan, és uma fixe, pá!!!

    ResponderEliminar
  5. Quem resiste... Vai mas é para o ginásio...

    ResponderEliminar
  6. És um fôfo, fôfo...

    Did I mencioned that I'm on vacation with my own little one? Alone, by ourselves and no mommy telling us "do this and do that and don't do this and don't do that"?

    Paradise!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Die Liebesbriefe einer portugiesischen Nonne

Gosto mesmo deste registo de mamas!

Tinha, talvez, cinco anos quando vi a Ana Zanatti e as suas amigas freiras em cenas lesbianas e, naturalmente, vem daí o despertar precoce da minha libido.

Só consegui a capa do filme em Inglês. Sorry...

Rapsódia contemporal-conceptual - OU - Ya, Zé

Onde é que se liga aqui este megafone?... Ouçam: artigos pequenos e outros um pouco maiores com mais de 80% de mínima importância. O tapete, o cristal, os dourados. Ai, como são lindos os dourados! Os saldos! Ui, dEUS meu, já começaram? Pretexto. Vamos já, vamos já! Quero ver essa selectividade minimalista dos espaços decorados sem nada. Os dias da reinvenção. Presunção. Sei mais do que tu! Eu sim, sou especial. Antena e o tempo. Vem de onde? Massamá! E o que nos traz hoje? Venho cantar Celine Dion em português. Escolha ousada. E porquê a Celine? Ai, é simplesmente linda: sempre foi! Dias de festejo. Kizombada depois da lambada lambuzada ao seu tempo. 2 tempos. 4 tempos. Motores potentes. A tecnologia gritante. Si, cariñoooooo! Iphones, S8's, S9's, 5 Mini S´s. Fodeu! É assim que se diz? Depende do que queres dizer!? Quem? A mulher, o patrão, o empregado, a amante turbinada, o senhor do banco? Tenho certezas, tenho opiniões. Como diziam os outros, já sei namorar e beijar de bo…

Como pode um homem sem escrúpulos fornicar a sua amiga lésbica?

Embriagados e fumados, dois amigos estendidos no chão da cozinha. . .

Amiga: Qual é o meu problema em gostar de gajas?
Amigo: O problema é que se não fosses lésbica já teríamos um programa melhor do que ficarmos a arrefecer no chão.
Amiga: Não te preocupes. Posso sempre dar-te um xi-coração.
Amigo: Olha, já cheiraste este lenço?
Amiga: O que tem?
Amigo: Cheira!
Amiga: Está bem. Humm… bah, cheira a… a… a… hospital…
Amigo: Diz antes a sonorífero!