sábado

À música dos amigos

Quando uma pequena cria de uma rata (ratazana) é retirada junto da mãe, os seus níveis de stress disparam. Quando, por exemplo, estamos a conversar com alguém que achamos muito simpático(a), tendemos a imitar cada gesto que faz - até quase ao ponto de sacarmos um gnu do nariz. Quando temos algo melhor que o mediano queremos mostrar. É científico. Há estudos e está comprovado. E eu como sou mais um mero e vulgar animal (só disse isto para parecer modesto), vou-me incluir em todas estas teses: vou abrir a janela do meu Pininfarina e fazer ouvir esta música para o mundo, mas especialmente para o meu mui querido amigo Diaz, agradecendo-lhe o soberbo arroz de ameijoas e a campanhia sempre inspiradora e musical. Mas não só a ele; a todos de quem gosto. À música dos amigos.

Música. Mas música a sério: AQUI