quarta-feira

Na Korda com os bimbos habituais

Um dia antes da abertura oficial da exposição na Cordoaria da Junqueira, o Zorze foi convidado pelo organizador da mostra a beber um mojito, a ouvir um pouco de música e, naturalmente, a contemplar o espólio de Alberto Korda. Para quem lê a Bola ou é esquecido, este senhor foi o fotógrafo protegido de Fidel Castro e o mesmo que fez a célebre fotografia do Che... ya, sim (!), aquela que vem nas carteirinhas da ganza ou nos crachás que os putos imberbes metem nas malas. Lá estava eu, a ler as fotos, a descobrir os pormenores, as intenções, as expressões, a força, a deliciar-me com a mesma intencionalidade com que me venho depois de uma boa foda e, uma vez mais, os bimbos pseudo-intelectuais das exposições, curando sobre nada, numa vaidade pedante; vestidos nos extremos do desleixo ou do aprumo: absolutamente ridículos! Eu, profundo conhecedor dos meneios tidos pelos bichos nas exposições, levei-me a mim, à minha cabeça e mandei-os foder/levar no cu. Talvez hoje, e já liberta daquela escória, a exposição tenha sido devidamente admirada por gente comum do dia-a-dia.

1 - Por A.K. ser o autor da foto de Ernesto “Che” Guevera, captada em 1960. É, saiba-se, o segundo retrato mais reproduzido no mundo - só mesmo a "Gioconda” de Leonardo Da Vinci é que o ultrapassa!

2- Além do fotógrafo que documentou a Revolução Cubana, há um Korda desconhecido para descobrir num rol de fotos inéditas, entre 1956 a 1968, confiscadas aquando da “Ofensiva Revolucionária”.

Alberto Korda “Conhecido Desconhecido”
2 de Dezembro '09 a 31 de Janeiro de '10
Galeria Torreão Nascente (Edifício Cordoaria Nacional) Lisboa.